07/01/2018

SOLENIDADE DA EPIFANIA DO SENHOR | ANO B

“Onde está o Rei dos judeus, que acaba de nascer.? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo”.!

SOLENIDADE DA EPIFANIA DO SENHOR | ANO B
7 de janeiro – Solenidade da Epifania do Senhor

 
1ª Leitura: Is 60,1-6
2ª Leitura: Ef 3,2-3a.5-6
Evangelho:Mt 2,1-12
 
O profeta contempla o mundo mergulhado nas trevas, em contraste com a Jerusalém messiânica, iluminada pela glória divina, porque se tornou o centro mundial do culto ao Deus verdadeiro. Jerusalém é convidada a levantar-se e a transfigurar-se no esplendor da luz fulgurante que lhe vem da glória do Senhor. As trevas que recobrem a terra são uma metáfora da ausência de salvação na qual se encontram os povos pagãos. Mas também eles são convidados à alegria da salvação. Jerusalém é uma mãe que irradia felicidade pelo retorno de seus filhos.
 
Paulo com sua carta aos Efésios nos comunica que a Epifania é um convite aos cristãos de todos os tempos a não serem apenas conhecedores das Escrituras. Ele quer que abramos os olhos e que não sejamos cegos por causa da nossa auto-suficiência que despreza os não-cristãos, pois, muitas vezes, mesmo sem conhecer as Escrituras, eles se comportam melhor do que quem as conhece, e cumprem melhor a vontade daquele que invocamos como Pai. Tanto os hebreus, chamados primeiro, como os pagãos, que vieram depois, são chamados à fé em Cristo e a participar da herança eterna com Ele. A salvação é universal e com efeito nossa Igreja se chama “católica” porque inclui todos os povos e nações, sem distinção de raças. O Evangelho é anunciado a todos, para que formem uma só e mesma Igreja. Por isso, devemos sentir a vocação missionária, que exercemos pela oração, pelos sacrifícios, pela colaboração para as Missões. E também precisamos evitar as divisões, os contrastes entre nós, porque participamos da mesma graça e da mesma promessa de Cristo.
 
Hoje, por meio da estrela, Deus revela seu Filho como Salvador de toda a humanidade. Na pessoa dos Magos, vindos do Oriente, os povos do mundo respondem ao chamado de Deus, e reconhecem no Menino de Belém o seu Salvador.
 
Jesus começa a obra da unificação dos povos e a fundação da comunidade da família humana. A Igreja, sinal da unidade de todo o gênero humano, continua a exercer esta missão hoje e até o dia em que o Senhor vier na sua glória.
 
Já conhecemos Cristo por meio da fé, obtivemos a renovação da nossa natureza humana, pertencemos à Igreja, povo da nova Aliança. Temos necessidade, como os Magos, da luz de Deus para entender como são grandes os mistérios dos quais participamos e para podermos anunciar a todos os irmãos as grandes obras de Deus.
 
A Epifania nos ensina a reconhecer que a majestade de Deus não aparece nas coisas grandes e vistosas, mas Deus pôs a sua verdade e a sua glória nas coisas humildes e simples, naquilo que não chama a atenção.
 
Para entender o Senhor, é preciso acolher seu estilo de vida. O verdadeiro conhecimento de Jesus se realiza no caminho da santidade, simbolizado na longa e cansativa viagem dos Magos. A solenidade da Epifania nos chama a uma caminhada.
 
Nós nos tornamos os Magos do nosso tempo. Eles são as primícias de nossa vocação cristã. Buscamos Jesus para pôr-lhe à disposição nossa fé para a vida do mundo. Nós lhe oferecemos nossos dons. A luz que recebemos não pode ficar escondida, mas deve brilhar para todos. Muitos cristãos deixaram apagar essa luz, já não são luz nas trevas do mundo.

     
                                                                                                 

                                                                                                            Autor: Padre José Raimundo Vidigal, C.Ss.R.


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Nome: E-mail:
Cód. de Segurança:

* Publicação sujeita a moderação;
** Evite a utilização de termos grosseiros e xingamentos através de palavras de baixo calão;
*** Comentários com conteúdo ofensivo e propagandas serão devidamente ignorados.

Liturgia Diária

Bíblia On-Line

Avisos da Semana

Santo do Dia

Dizimistas


Calendário de Eventos

Calendário
« SETEMBRO 2018 »
S T Q Q S S D
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30